TODA CRIANÇA GOSTA DE BRINCAR E DE LER.

SEJA BEM-VINDO AO SITE DE LEITURA DA TURMA DO GUARANÁ. AQUI VOCÊ ENCONTRA HISTÓRIAS EM QUADRINHOS, CONTOS, DESENHOS E MUITA DIVERSÃO!

sexta-feira, 29 de março de 2013

NININHO, O COELHO DA PÁSCOA

Olá, amigos!
Hoje, apresento uma história inédita com a Turma do Guaraná.

NININHO, O  COELHO DA PÁSCOA

       Nininho, o coelho mágico, percorreu as trilhas da Floresta Secreta e foi convidar as crianças para a Festa da Páscoa. Muito alegre e saltitante, Nininho conversava:
        – Venham, crianças! Estão todos convidados pra festa! Escondi muitos ovos de chocolate pelas moitas – disse Nininho.
        – Oba! Mas primeiro temos que avisar aos nossos pais – disse Paulinha, já correndo para casa.
       Assim, as crianças foram conversar com os pais, para pedir-lhes permissão para irem à festa. Logo estavam de volta, e caminharam alegres na direção da floresta, sem saber das surpresas que iriam viver naquela manhã.
       Ao cruzarem o riacho sobre a ponte de madeira, viram os jacarés os observando, só com os olhinhos para fora d’água. As meninas morriam de medo de jacarés! Mas, o perigo maior estava adiante.
       Nininho ia na frente conduzindo as crianças, quando de repente... Ploft! O chão onde ele pisava afundou, e ele fora parar num imenso e fundo buraco.
       – Socorro! Me tirem daqui! – gritava o pobrezinho.
       As crianças correram para acudir o coelho, e viram que ele não estava sozinho. Dentro do buraco havia vários outros animais da floresta: cervos, porco-do-mato, porco-espinho, cutias e até um gambá, que estava nervoso e não cheirava bem – eca!
       Quando as crianças pensaram em resgatar os animais, aproximavam-se os caçadores, prontos para catarem os animais e colocá-los em Jaulas.
        Foi então que Guaraná lembrou do amigo da floresta, protetor das matas, o Urso Azul.
        – Rápido, amigos! Vamos procurar o Urso Azul, antes que seja tarde demais! – gritou Guaraná, já correndo.
        E a molecada saiu em disparada. Foram até a cabana do urso, que logo veio acompanhando as crianças. Mas não veio sozinho, trouxe com ele alguns bichos ferozes e valentes: onças-pintadas e o lobos-guarás.
         As crianças se pintaram com corantes naturais, extraidos da vegetação, e pareciam mais com índios de cara pintada. Vieram todos correndo em direção aos caçadores, inclusive os bichos ferozes. Quando os caçadores viram aquele monte de gente e bicho vindo em sua direção, se arrepiaram todo, e pensaram até que fossem assombrações da floresta. Aterrorizados largaram os pobres animais, e saíram em disparada. E segundo a lenda da Floresta Secreta, eles ficaram tão assustados que ainda não pararam de correr, até hoje!
        – Ufa! Obrigado por nos ajudarem, pessoal – disse o cervo, agradecido.
        – Pensei que iria virar o prato do dia – disse o porco-do-mato.
        Então todos os bichos foram salvos e foram para suas casas muito felizes.
         – Sempre que precisarem, podem me procurar, Turma do Guaraná, amigos para sempre! – disse o Urso azul sorrindo para as crianças. Se despediu e foi-se embora.
        – Bem, crianças, agora que está tudo bem, vamos chegar logo em casa, pois quero que achem os ovos de chocolate que escondi na floresta. São muitos! – Gritou o Nininho.
        – Oba! – as crianças gritaram em coro.
       Chegando lá, na toca do Nininho, ele esquecera de que seus filhos já haviam acordado. E são doze filhos, meninos e meninas coelhinhos, tudo criança também. Os moleques souberam que Nininho havia escondido vários ovos de chocolate, e foram procurar. Acharam todos, e fizeram a festa! Comeram tudo!


        – Oh, não! Seus meninos comeram todos os ovos! – gritou Tampinha, desolada.
        – E agora? Não sobrou nenhum ovinho! – reclamou Pirrixa.
        – Ah, crianças, não fiquem triste. Esqueceram que eu sou um coelho mágico?
        Então, Nininho enfiou a mão dentro de sua cartola de mágico, e retirou de dentro os maiores e mais deliciosos ovos de chocolate que uma criança pode ganhar, e deu aos seus amiguinhos.
         Todos sentaram e foram comer os ovos de Páscoa, e as crianças de Nininho ficaram em volta, pedindo um pedacinho de chocolate.
         – Ôôô, menino pidão! Toma, e vai-te embora! – disse o Guaraná, ao dar um pedacinho do seu ovo ao coelhinho.
         Foi a manhã de Páscoa mais divertida da Turma do Guaraná.

FIM

Tenham todos uma feliz Páscoa, com muita paz e amor.

Abraços do amigo



EU QUERO A CAMISA DA 
TURMA DO GUARANÁ!

Compre a camisa, e ajude o nosso Projeto de Leitura.

terça-feira, 19 de março de 2013

TURMA DO GUARANÁ em CHEGOU O OUTONO

Olá, amiguinhos! 
No dia 20 de março, às11:02, começa o outono. 
A estação  é caracterizada
pela queda da temperatura e pelo amarelar das folhas das árvores.
Hoje, apresento uma HQ com este tema.












TODA TERÇA E SEXTA TÊM POSTAGEM NOVA.
Participe, tornando-se membro do blog e deixando seu comentário
O nosso blog:  http://guaranaeturma.blogspot.com
O e-mail :  turmadoguarana@hotmail.com

Esta HQ faz parte de um publicação da Editora Positivo 
em um livro de ciências, neste ano.
Foi a primeira licença de uma HQ da Turma do Guaraná para uma editora.
Agradecimentos aos editores por prestigiarem o meu trabalho com a Turma do Guaraná.

Até a próxima história!
Tenha uma boa semana.



domingo, 17 de março de 2013

TURMA DO GUARANÁ E O VOO DE AVIÃO

Olá, amiguinho!
Escrevi mais uma divertida história com a Turma do Guaraná.
Desta vez, as crianças partem em um emocionante vôo de avião!



O VOO DE AVIÃO

       As crianças estavam na praça curtindo os últimos dias de férias de verão, mas acho que já estavam cansadas, e tinham saudades da escola.
       Então, Bolacha que era muito entendida de estudos e gostava de passar seus conhecimentos, sugeriu que todos brincassem de escolinha, e ela seria a professora, claro.
       Então, as crianças foram em casa e pegaram almofadas para sentarem. Trouxeram também cadernos, lápis e borracha, enquanto a professora trouxe um quadro negro para escrever o dever com giz.
       Assim, começou a aula, de forma divertida, e o assunto era sobre como voava o avião.
       Acontece que Guaraná já estava há mais de cinco minutos ouvindo a professora Bolacha, e já ficou cansado. Então pediu:
       – “Fessora”, posso ir ao banheiro?
       – Acontece que aqui, não tem banheiro. Estamos na praça! – respondeu Bolacha.
       – Então, vou em casa... – disse o Guaraná, sem graça.
       Então, disfarçando, e já saindo de fininho, Guaraná foi e não voltou mais.
       A turma ficou se perguntando o que poderia ter acontecido ao Guaraná para ele não ter voltado para a aula.
       – Será que ele caiu no vaso, e puxaram a descarga? – perguntou Pirrixa debochando.
       E as meninas riam...
       – Vamos atrás dele! De repente entalou no vaso, e está preso!  Hahahaa! – disse a Bolacha!
       E saíram atrás do Guaraná. Chegando lá foram direto ao banheiro que estava com a porta aberta, mas ele não estava lá. Correram para o quintal, e na área, próxima da cozinha, lá estava ele.
       Guaraná estava com várias caixas de ovos de isopor e explicou aos amigos, que por serem muito leves, serviriam para construir um avião de verdade. Bolacha, coçou a cabeça meio desconfiada da ideia.
       Precisariam de muitas caixas de isopor, se quisessem construir um avião. E lá se foram as crianças pedindo caixas de ovos de isopor pela vizinhança. Conseguiram muitas caixas, e levaram tudo para o quintal. Chegando lá cortaram e montaram várias partes do avião, seguindo o projeto do engenheiro Guaraná (Isso não vai acabar bem...).


       Depois de ter construído o avião, o problema seria como fazê-lo decolar, alcançar voo, já que não tinha motor - imagine. Foi quando o Pirrixa teve a brilhante ideia de amarrar uma corda e puxar o avião, junto com o Guaraná. Então, as meninas entraram no avião, que era a coisa mais linda de se ver, e se acomodaram.
       – Se preparem, meninas, que logo estarão ganhando os céus de Lindópolis -  exclamou pirrixa todo orgulhoso do avião de isopor.
       As meninas se olharam, e acharam tudo aquilo muito engraçado.
       Então, segurando firme na corda, os meninos puxaram o avião, correndo por uma estrada de chão ali perto de casa. Quanto mais corriam, mais alto ia o avião. Então quando começaram a subir pela corda para entrar no avião, perceberam que este cada vez mais abaixava, tanto que pousou no chão, novamente.
      – Ué, cadê as meninas? – perguntou o Guaraná olhando para dentro do avião, que estava pousado.
      – Tem apenas um furo no fundo – observou o Pirrixa.
Logo em seguida, lá vinham as meninas correndo atrás deles.
      Ora, aconteceu que quando puxaram o avião de isopor, ele não suportou o peso das meninas e furou, deixando-as sentadas no solo, ao decolar.
      – Eu sabia que esta ideia não ia dar certo, mas fiquei na minha – disse a Bolacha.
      – E agora, como faremos este avião decolar com todos nós dentro? -  perguntou o Guaraná.
       – Eu sei como. Vamos voltar à aulinha sobre como funcionam os aviões – respondeu a Bolacha.
       E o Guaraná gritou:
       – Oh, não! Mais aulas!
       – Para fazermos um avião voar e carregar pessoas, precisamos estudar para entender como funciona – observou o Pirrixa.
       Então todos voltaram à praça para estudar com a professora Bolacha, inclusive o preguiçoso do Guaraná.

fim

Espero que tenha gostado.
Até a próxima aventura com a Turma do Guaraná!
Tenha um feliz domingo.


sexta-feira, 1 de março de 2013

GUARANÁ E A CRIAÇÃO


Olá, amiguinhos!

Para comemorar o segundo ano do site da Turma do Guaraná, estou reapresentando a série "Uma página por dia", com uma história em quadrinhos super divertida com a Turma do Guaraná.


Guaraná e Claragema em 1987

De onde veio a inspiração?

Daqui. Este é o Guaraná com sua amiga Claragema.
Na verdade, o meu sobrinho Raphael aos cinco anos e sua galinha de estimação.
O começo de tudo. :D

E hoje, trouxe a primeira história em quadrinhos criada e desenhada por mim, em julho de 1987, com o Guaraná, que foi o primeiro personagem da turma.

Nesta época, eu tinha apenas 20 anos, e trabalhava em uma grande estamparia como desenhista, e foi nas horas vagas que comecei a desenhar os primeiros quadrinhos. 


Todo dia postarei uma página, e hoje, apresento a primeira da série.

página 1


página 2


página 3

página 4

página 5

página 6

página 7

página 8

Obrigado pela sua visita e não deixe de ler as outras histórias! 


Antes de ir, quero deixar para vocês uma mensagem muito bonita, que encontrei no livro
 "O Pequeno Príncipe", um romance do escritor francês Antoine de Saint-Exupéry,
publicado em 1943. Uma excelente dica de leitura.


Separei mais uma frase, que ao ler nos traz a certeza de que
a vida é muito simples, e nos ensina que, o que tiver de ser, será.



Abraços.