TODA CRIANÇA GOSTA DE BRINCAR E DE LER.

SEJA BEM-VINDO AO PROJETO DE LEITURA DA TURMA DO GUARANÁ. AQUI VOCÊ ENCONTRA HISTÓRIAS EM QUADRINHOS, CONTOS, DESENHOS E MUITA DIVERSÃO!

terça-feira, 28 de abril de 2015

TURMA DO GUARANÁ NA CAVERNA MAL ASSOMBRADA

Olá, amiguinhos!
Hoje, retorno com mais uma incrível aventura com a Turma do Guaraná.
Desta vez, uma história mal assombrada!



       O sol brilhava baixo no céu de Lindópolis, quando Guaraná levantou da cama num pulo só. Estava superanimado para iniciar o dia, pois estava certo de que viveria grandes aventuras. Pegou um lanche, frutas e algumas bolachas, colocou na mochila e correu na direção da casa do Pirrixa, seu amigo inseparável.
     Os dois meninos marcaram para ir até uma caverna que ficava na Floresta Secreta, uma vasta região de mata ainda intocada. Era uma caverna pouco conhecida e no seu interior havia um lago com água cristalina, que deixava transparecer os peixes que ali viviam. A intenção dos meninos, além de andar pelas trilhas selvagens da floresta e tomar banho no lago, era de pescar alguns peixes deliciosos para o almoço.
      Guaraná e Pirrixa já estavam saindo de casa, quando Paulinha, a irmã de Pirrixa, curiosa como era, perguntou aonde eles iam com tanta animação.
     – Ora, Paulinha, vamos para um lugar bem distante e perigoso. Você não pode ir com a gente.
     – Tá bem, não quero ir mesmo. Prefiro ficar aqui, brincando com as minhas amigas – respondeu Paulinha.
       E assim, os meninos foram embora em direção à Floresta Secreta.
       Atravessaram a cidade e logo chegaram à entrada da floresta. Depois, andaram por trilhas estreitas, passaram por uma ponte sobre o riacho, desceram um barranco, que de tão inclinado, era necessário segurar nos cipós e raízes das árvores, até, finalmente, chegarem lá embaixo, onde estava a entrada da caverna perdida na mata. Assim, lá se foram os meninos. Eles gostam mesmo de viver desafios selvagens como este.
       Chegando à entrada da caverna, atravessaram por uma estreita fenda, que ia dar num grande salão onde tinha uma pequena abertura no teto, o suficiente para fornecer uma claridade. “Que lugar lindo, e ao mesmo tempo assustador” – eles pensaram. Nada se ouvia ali, senão o gotejar das infiltrações que pingavam de vários pontos do teto. Os meninos estavam maravilhados diante de tanta beleza natural. Era realmente, impressionante.
       – Bem, o lugar é muito bonito, mas não vamos ficar aqui só olhando – disse o Pirrixa se preparando para dar o primeiro mergulho.
       Então, os meninos nadaram e brincaram no lago de águas límpidas. Entretanto, nem só de brincadeira vivem as crianças. Era hora de parar e se concentrar para fisgarem alguns peixes deliciosos para o almoço.
       Arrumaram a isca na ponta do anzol e ficaram quietinhos, em silêncio, de modo a não espantar os peixes ariscos. Tanto silêncio era naquele salão, que dava até para ouvir as gotas d’água que despencavam do alto da caverna e caíam no lago...
       Então, os meninos se olharam.
       – Você ouviu este barulho, Pirrixa? – Perguntou o Guaraná.
       – Não... – Respondeu Pirrixa.
       – Preste atenção, é bem baixinho...
       – Ei, é alguém falando... Vem dali – disse o Guaraná apontando para uma passagem que dava para um outro salão da caverna, e era bastante escuro.
       – Pirrixa, vamos lá ver quem é.
       Assim, os meninos caminharam nas pontas dos pés pra não fazer nenhum barulho. Quando chegaram na outra sala se depararam com algo incrível... Era um fantasma!
       – Quem são vocês, que ousam invadir a minha caverna?! – Gritou o fantasma.
       Os meninos se arrepiaram da cabeça aos pés e ficaram sem ação, apavorados. Então, o fantasma disse:
       – Agora que descobriram que esta caverna é mal-assombrada, não os deixarei sair daqui, nunca mais. Ficarão aqui para sempre e me ajudarão a achar o meu tesouro!
       – Que tesouro? Quem é você? – perguntou o Pirrixa.
       – Eu sou o fantasma do pirata Bigodinho de Ouro. Enterrei um baú com dobrões de ouro aqui, há muito tempo atrás, e vocês cavarão para mim até achá-lo – respondeu o fantasma.
       – Senhor fantasma, você me desculpe, mas preciso voltar pra casa antes que minha mãe perceba que levantei e não arrumei minha cama – disse o Guaraná.
       – E eu preciso voltar cedo pra estudar pra prova de amanhã – disse o Pirrixa.
       E os meninos já iam saindo de fininho, quando o fantasma lançou um poder de raios sobre a entrada da caverna, fazendo com que pedras caíssem, fechando a única saída e impedido, também, a entrada de luz que vinha do outro salão, deixando o ambiente bastante escuro. Então, os meninos gritaram: “Socorro!”.
       Do lado de fora da caverna, Paulinha, Bolacha e Tampinha, sem os meninos saberem, os seguiram. Elas também queriam conhecer esta caverna tão linda da qual os meninos sempre comentavam. Curiosas, as meninas foram, devagarzinho, entrando no salão iluminado onde havia o lago com água cristalina. “Que lugar lindo e ao mesmo tempo assustador”, elas pensaram. Foi então, que a admiração das meninas se transformou em pavor!
       – Socorro! O fantasma nos prendeu aqui! – Gritaram os meninos do outro salão.
       – Os meninos estão presos atrás daquela parede imensa! – gritou a Bolacha, apontando para o paredão de rocha – precisamos ajudá-los.
       – Mas como, Bolacha? – Perguntou Tampinha, assustada.
       – Ora, não lembram que temos os poderes dos medalhões? – respondeu a Bolacha.



       Bem lembrado! As meninas tinham três medalhões com poderes e com eles poderiam salvar os meninos. Então, Bolacha tirou os medalhões do bolso, ficou com um e entregou os outros às amigas. Bolacha ficou com o medalhão flor, que invoca o poder da natureza; Tampinha ficou com o medalhão estrela, que invoca o poder das estrelas e da luz e Paulinha ficou com o medalhão coração, que invoca a força do amor e do bem.
       Segurando firme o medalhão estrela, Tampinha o apontou para o paredão de onde vinham os gritos dos meninos. Logo, saiu um feixe de luz azul que chocou-se com o paredão, explodindo a rocha e abrindo um buraco. Os meninos, sem entender o que estava acontecendo, passaram correndo pelo buraco, que dava para o salão onde as meninas estavam.
       – Meninas! O que estão fazendo aqui? – Perguntou o Pirrixa.
       – Corram! O fantasma quer nos aprisionar! – Gritou o Guaraná.
       O fantasma do pirata Bigodinho de Ouro ficou furioso quando viu os meninos escapando pela nova passagem, e foi ver quem o estava desafiando.
      Bolacha, quando viu o fantasma, usou o poder do medalhão flor, lançando sobre o fantasma o poder da natureza. Então, subitamente, saiu do lago muitos peixes-voadores que partiram para cima do fantasma, atingindo-o em cheio. O fantasma, assustado, voltou para onde havia saído.
       Agora, era a vez de Paulinha aplicar o poder do seu medalhão. Apontando-o na direção do buraco do paredão, invocou o poder do bem, que veio na forma de um raio branco, que ao chocar-se contra o paredão, derrubou muitas pedras que tamparam a saída do fantasma Bigodinho de Ouro, para sempre. O fantasma ficou com tanto medo das meninas, que nem tentou fazer mais nada, ficou quietinho lá. Pobre alma!
       – Ufa! Finalmente estamos livres daquele fantasma mau – disse o Pirrixa.
       – Eu que não quero ficar nesta caverna mal-assombrada – disse a Paulinha.
       – Mas antes, vamos salvar os peixes-voadores que estão se debatendo no chão – disse a Bolacha.
       – Ah, não! Não vamos embora sem curtir este lago maravilhoso – gritou a Tampinha.
       Então, as crianças pegaram os peixes e os jogaram na água, pois ainda estavam vivos, depois mergulharam, nadaram e brincaram no lago. Enquanto isso...   
         – Ei, Guaraná, o que está fazendo? Jogue os peixes no lago! – sugeriu a Paulinha ao ver o Guaraná colocando alguns peixes na sacolinha.
        – Esses aqui são da nossa pescaria. Vão com a gente – respondeu o Guaraná com um sorriso de orelha a orelha.
        – Isso mesmo! É o nosso almoço, pessoal! – Lembrou o Pirrixa.

       As meninas acham os meninos muito engraçados, então, caíram na gargalhada.


FIM

Obrigado pela sua visita. Retorne sempre.
Abraços.



domingo, 22 de março de 2015

TURMA DO GUARANÁ, AMIGOS PARA SEMPRE!

Olá, queridos leitores!

Sejam todos bem-vindos ao blog da Turma do Guaraná.

Muitos entram aqui em busca de novas histórias, já acostumados em ler as aventuras do indiozinho Guaraná e seus amigos, mas talvez, você tenha chegado aqui por acaso, durante alguma busca na internet. 

De qualquer forma, a partir de então, não deixe de visitar-nos, porque
sempre encontrará novidades por aqui, além dos mais de 200 contos ricamente ilustrados e histórias em quadrinhos que já fazem parte do acervo do blog. 

Paulinha é irmã de Pirrixa. De vez em quando brigam, coisa de irmão, sabe como é.
Sempre faceira, adora pentear seus longos cabelos e brincar com sua boneca Ritinha.

Guaraná é um indiozinho urbano, mas não deixa suas raízes, por isso quando é hora de aventura, não perde tempo e logo entra nas trilhas da Floresta Secreta onde a mata é perigosa e cheia de mistérios.


                PAULINHA     GUARANÁ      PIRRIXA       BOLACHA       TAMPINHA

Bolacha é a mais inteligente de todos, mais ainda que Guaraná. Ela é a menina cientista e entende tudo de física, matemática e robótica. Muitas de suas invenções salvam a cidade onde mora, Lindópolis.

Pirrixa é um menino corajoso e esperto. Mas às vezes é tão esperto que se atrapalha, por isso muitas vezes entra em muitas confusões. Ainda bem que ele tem os seus amigos para o ajudar.

Tampinha é a menina estrangeira, nasceu em Aiquefrio, um país muito frio e distante de Lindópolis. Agora, já adaptada ao clima tropical, vai a sua cidade natal somente nas férias.


Agora que já conhece a Turma do Guaraná,
deixe seu comentário, torne-se membro do site e seja amigo da Turma do Guaraná, 
para sempre.

Uma boa semana para todos!


sábado, 28 de fevereiro de 2015

TURMA DO GUARANÁ E OS 450 ANOS DO RIO

Olá, amigos!
Depois de um tempo sem desenhar, finalmente pude fazer o que mais gosto:
uma nova HQ para vocês.

Desta vez, sobre um acontecimento muito importante.
O Rio de Janeiro completará, amanhã, 450 anos.



Eu não poderia deixar de homenagear esta data tão importante para os cariocas, e também, para mim, que lá morei por 22 anos, chegando ainda criança pequena.
Apesar de hoje eu morar em Itaboraí, meus laços com o Rio são eternos.

UM POUQUINHO DA HISTÓRIA:
Depois de muitas lutas para expulsar os franceses, que nas terras do Rio haviam se instalado, Estácio de Sá  fundou a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro no dia 
1º de março de 1565, como resposta a intenção de alguns franceses 
de ainda permanecerem por lá.

Hoje, o Rio está aí, com uma natureza exuberante e um povo orgulhoso de viver nesta cidade maravilhosa!


Tenham um bom fim de semana.
Abraços,

Para obter licença dos quadrinhos e contos da Turma do Guaraná,
mande e-mail para turmadoguarana@hotmail.com 


quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

LINDÓPOLIS, A CIDADE INVADIDA

Olá, amiguinhos!


Sejam bem-vindos ao nosso blog.

Hoje tem uma história divertida, que trata de um

assunto muito importante: o combate ao mosquito da dengue.

Se dedicarmos 1 minuto do nosso dia, procurando em casa

e no quintal, possíveis focos do mosquito,

estaremos livres desta praga.



LINDÓPOLIS, A CIDADE INVADIDA – PARTE 1

      Era final de tarde, quando as crianças brincavam na praça em frente de casa. Era mais um daqueles dias quentes de verão e os mosquitos estavam atacando.  As meninas, que já não aguentavam mais as picadas, foram as primeiras a correrem para casa. Era uma invasão de mosquitos, e o pior, eram mosquitos da dengue.
       O prefeito Patonildo precisava dar fim à mosquitada que invadiu a cidade, então, reuniu toda a população na Praça Central para avisar os cuidados a serem tomados:
       - Povo de Lindópolis, tapem as caixas d’água; limpem os quintais; guardem pneus e garrafas viradas de cabeça pra baixo e em lugar coberto; tirem a água acumulada nas lajes, e coloquem areia nos pratinhos das plantas – recomendou o prefeito.
       As crianças da Turma do Guaraná ouviam atentas a tudo o que o prefeito dizia, porque eram dicas muito importantes.
       Guaraná disse , então:
       - Prefeito Patonildo, para acabar com os mosquitos da dengue, eu tenho o Valber Wilson.
       O prefeito se admirou com o que o Guaraná dissera, e sussurrou para o seu assessor.
       - Quem é aquele menino que fala?
       - É uma criança da vila.
       - Pois então, pergunte a ele quem é o Valber Wilson,  que acaba com o mosquito da dengue.
       - Menino, quem é Valber Wilson? – perguntou o assessor do prefeito.
      - É este sapo de estimação. Ele come todos os mosquitos da dengue - Respondeu Guaraná, segurando o sapo na mão.
       O prefeito observou o sapo, que era bem feio, combinava com o nome, coçou a cabeça e teve uma ideia brilhante.
       - Povo de Lindópolis, tenho a solução para o mosquito da dengue em nossa cidade. Além de todos adotarem as medidas que já recomendei, distribuirei para todas as casas: sapos, rãs e pererecas.
       E assim foi feito. Não havia um quintal que não tivesse os bichinhos saltitantes. Eles se reproduziam rapidamente, e em poucas semanas, havia milhares, milhões de sapos, rãs e pererecas pulando por toda a cidade.

       Os mosquitos da dengue não desapareceram por completo, porém estavam controlados. 
Depois disso, Lindópolis viveu uma nova invasão: de sapos, rãs e pererecas.
       Paulinha, Bolacha, Tampinha e todas as meninas da cidade estavam apavoradas!
       E agora, como resolver este problema?
      O prefeito pediu ajuda à Bolacha, a menina cientista. Bolacha aceitou o desafio, e após pesquisar nos livros e na internet, finalmente encontrou a solução...

  PARTE 2

      Lindópolis havia sido invadida por milhões de sapos, rãs e pererecas, e o prefeito, desesperado, foi pedir ajuda à Bolacha, que após pesquisar muito, finalmente encontrou a solução: seria necessário estabelecer o equilíbrio ecológico. Os animais introduzidos na cidade pela prefeitura se reproduziram rapidamente, invandindo todos as praças, lagos, chafarizes e, inclusive, a sede da prefeitura.
       Bolacha disse ao prefeito Patonildo o que fazer:
       - Eu pensei em cobras, porém seriam perigosas para a população também. Então, traga para a cidade muitas galinhas, porque elas comerão os filhotes de sapos, rãs e pererecas, e assim se fará o equilíbrio.
       E assim foi feito. Não havia um quintal que não tivesse os bichinhos que ciscam.
       As galinhas comiam os sapos, rãs e pererecas, que comiam os mosquitos da dengue. Tudo ia muito bem, até que as galinhas começaram a se reproduzir e ter pintinhos, e mais pintinhos. Logo cresciam e viravam galos ou galinhas...
      Depois disso, Lindópolis viveu uma nova invasão: de galos, galinhas e pintinhos, que se contavam aos milhões. Havia ovos e ninhos de galinhas espalhados por toda a cidade. Os galos eram bravos, e batiam nos homens que tentavam capturá-los. As galinhas bicavam quem se aproximasse de seus filhotes. Era uma guerra a tentativa frustrada de capturar os galináceos. O prefeito ficou desesperado e gritou “Socorro! É uma invasão!”.  Chegou mesmo a chamar o exército, mas lhe foi negado.
       Com muita luta, os homens capturaram as aves, mas o que fazer com elas?
       Era final de tarde, quando a Turma do Guaraná, preocupada com a invasão dos bichos, se reuniu na praça para buscar a solução.
       Guaraná, que não é bobo, depois de ter prendido no galinheiro, Claragema, sua galinha de estimação, disse aos amigos:
       - Só há um jeito de controlar a invasão.
       - Como? – perguntou Pirrixa.
       - Vamos sugerir ao prefeito que capture todas as galinhas e rãs soltas na cidade.
       - Isso já está sendo feito, mas o que fazer com tantos bichos? – perguntou Paulinha.
       - Ora, as galinhas serão assadas nas padarias, e as rãs serão servidas nos restaurantes.
       - E os sapos e pererecas? – perguntou tampinha.
       - Já entendi. Estes cuidarão dos mosquitos, devorando-os todos os dias - concluiu Bolacha.
       - Isso mesmo! – exclamou Guaraná. 

       Foram para a prefeitura conversar com o prefeito, que após ouvir tudo o que lhe disseram, mandou que recolhessem todas as galinhas e rãs da cidade e as entregasse aos cozinheiros.
       E assim foi feito. Não havia uma padaria que não tivesse galinha assada, e nenhum restaurante que não servisse rã à milanesa.
       O prefeito ficou feliz, porque finalmente a vida na cidade voltou ao normal. Então, ofereceu um almoço especial para a Turma do Guaraná. Foi servido de entrada sopa de rã, depois, galinha assada e para sobremesa um delicioso pudim de leite - feito com alguns dos milhões de ovos espalhados pela cidade.
       Todos ainda estavam sentados a mesa, quando de repente, pulou um sapo.
       O prefeito levou um baita susto!
     - Calma, pessoal, não se assustem! É apenas o Valber Wilson que veio comer um mosquito que pousou na mesa – disse o Guaraná.
       E todos riram.

FIM

Até a próxima história.



Para contactar o autor,

mande e-mail para turmadoguarana@hotmail.com 


sábado, 7 de fevereiro de 2015

PROTEJA A NATUREZA

Olá!
Seja bem-vindo ao site da Turma do Guaraná!
Hoje, volto com mais uma história em quadrinhos que traz uma mensagem importante: 
a limpeza de nossas praias.



Pessoal, já que a placa não adiantava de nada, 
o Guaraná foi lá e trocou por outra.
Na história em quadrinhos funcionou, 
mas será que na vida real funcionaria? 
Então, é melhor não arriscar...

Um abraço!


Para obter licença dos quadrinhos e contos da Turma do Guaraná,
mande e-mail para turmadoguarana@hotmail.com 



sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

TURMA DO GUARANÁ: MUITA AVENTURA E DIVERSÃO



Título da obra:

TURMA DO GUARANÁ



O site em uma palavra: Leitura




Resumo do Blog:
As crianças da Turma do Guaraná se envolvem em aventuras incríveis ao desvendar os mistérios de Lindópolis, a cidade onde moram.

Autor: 
Paulo Alves dos Santos.  E-mail: turmadoguarana@hotmail.com

Apresentação:
Os personagens são crianças normais como de qualquer outro lugar, porém a cidade onde moram guarda muitos mistérios que ao longo das postagens vão sendo desvendados, resultando em emocionantes aventuras. Além dos contos, há ensinamentos e curiosidades em diversas áreas: ecologia, recursos naturais, educação, artes, prevenção de doenças e dicas de saúde para as crianças. O blog apresenta contos com ilustrações e histórias em quadrinhos. Aos leitores são dedicadas duas postagens de histórias por mês. O objetivo principal é proporcionar o hábito da leitura, buscando o envolvimento e a participação dos leitores através de histórias divertidas e com uma linguagem simples. O site já conta com um acervo de 200 histórias, o que significa muita aventura e diversão para toda a família.

Características – Porque este blog é único:
Ao acessar o blog os leitores recebem as boas vindas, lêem o comentário do autor sobre a postagem do dia, e logo em seguida, tem uma história, mostrando claramente a intensão do blog.

Público-alvo:
Todas as crianças, jovens e adultos que gostam de ler aventura e fantasia.

Postagens:
Todos os meses é apresentada uma ou mais histórias.

Status e endereço do site:
Em pleno funcionamento. O autor trabalha diariamente para não falhar com os leitores.

O endereço do site da Turma do Guaraná é http://guaranaeturma.blogspot.com





TURMA DO GUARANÁ, AMIGOS PARA SEMPRE!


Dedico este site às crianças e aos adultos, 
que amam histórias em quadrinhos e contos infantis.

As crianças aprendem o que lhes ensinamos,
então, ensine-as o que aprendeu de melhor deste mundo.




Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...