TODA CRIANÇA GOSTA DE BRINCAR E DE LER.

SEJA BEM-VINDO AO SITE DE LEITURA DA TURMA DO GUARANÁ. AQUI VOCÊ ENCONTRA HISTÓRIAS EM QUADRINHOS, CONTOS, DESENHOS E MUITA DIVERSÃO!

terça-feira, 27 de novembro de 2012

O CASO DA SECA DO LAGO DOCE

Olá, amiguinho.
Seja bem-vindo a mais uma aventura com a Turma do Guaraná.
Continuando a série de cinco histórias com cada criança da turma, apresento esta aventura, protagonizada pela Bolacha, a menina cientista.


O CASO DA SECA DO LAGO DOCE

       Isso aconteceu numa noite, há algum tempo, quando Bolacha viu pela janela umas luzes brilhantes. Daí ela foi lá fora pra ver o que era, e algo surpreendente aconteceu! As luzes vinham de uma nave espacial, que estava pousada na rua em frente a sua casa. Desceu da nave um alienígena que a presenteou com os três medalhões em forma de coração, de estrela e de flor. A esses medalhões o alienígena atribuiu poderes que ajudariam as meninas a combaterem os destruidores do planeta Terra. Depois, o alienígena partiu com sua nave para além das estrelas.

Clique na imagem e leia a história "Bolacha e o segredo dos medalhões".

       Toda vez que a Bolacha saía, levava consigo seu medalhão em forma de flor, que ficava guardado no bolso da sua calça, pois sabia que este tinha o poder de invocar a força da natureza.
       Num belo dia, Bolacha foi com a turma ao Lago Doce, que era um refúgio para os animais da Floresta Secreta. O Lago Doce é assim conhecido porque armazena o suco que escorre por uma Pedra muito alta, conhecida como a Pedra da Mexerica, onde, no pico, tem uma misteriosa mexeriqueira que produz muitas frutas, do qual escorre o suco adocicado. Ao chegar às margens do lago, as crianças se depararam com uma situação complicada.

Clique na imagem e leia a história "A Pedra da Mexerica".

       Os animais reclamaram que o lago estava secando, e que as abelhas não mais poderiam produzir seu delicioso mel, pois precisavam do suco do lago para isso.
       Bolacha e as crianças seguiram o caminho contrário do pequeno córrego que ia desembocar no lago, em busca de alguma pista que pudesse solucionar o caso. Subindo em direção à Pedra da Mexerica, descobriram um desvio do curso do córrego, e resolveram seguir pra ver aonde iria dar.
       Foi então, que avistaram, não muito longe, um galpão que tinha uma placa escrita “FÁBRICA DE SUCO MEXERIQUEIRA”.
       Ora, algum espertinho desviara o curso do córrego para uma fábrica que engarrafava e vendia o delicioso suco das mexericas.
       Faltava saber quem era o responsável por tamanha maldade!
       As crianças curiosas e destemidas seguiram adiante e foram parar no fundo da fábrica, e logo viram quem eram os malvados: Dalvo e Valdo, os dois trambiqueiros da floresta.
       Quando os dois espertalhões viram as crianças, correram atrás delas. Assustadas, elas correram para a mata, e acabaram ficando encurraladas, por causa da vegetação muito fechada de arranha-gato, que é um tipo de cipó muito espinhento.
       Sem ter como escapar dos ladrões, Bolacha, lembrando do medalhão Flor que estava em seu bolso, perguntou:
       - Vocês desviaram o curso do córrego e o Lago Doce está secando! Não se envergonham disso?
       - Claro que não, menina bisbilhoteira! – disse Dalvo, sorridente.
       - Estamos ganhando muita grana com a venda do suco engarrafado – lembrou Valdo.
       Então Bolacha, para defender a si e a seus amigos, tirou do bolso o medalhão Flor, e mostrou para os ladrões, dizendo:
       - Olhem, o que tenho para vocês!
       - Hahaha! Que medalhão bonito. Vai nos dar de presente? – perguntou Dalvo com deboche.
       Sem saber da força do seu medalhão, Bolacha ficou com o braço estendido, esperando o que iria acontecer.
       Quando, de repente, algo incrível aconteceu. A plantação de arranha-gato, que os impediram de fugir, começou a crescer descontroladamente. As ramas espinhosas brotavam em toda a planta e iam crescendo na direção de Dalvo e Valdo, envolvendo-os. Eles bem que tentaram correr, mas a planta espinhosa foi mais rápida, lançando suas ramas que se enrolavam em suas pernas e braços. Em poucos segundos os irmãos trambiqueiros estavam completamente presos dentro das ramas do arranha-gato, e as crianças ficaram livres.
       Depois, as crianças fecharam o desvio do córrego com pedras, e o Lago Doce voltou a encher.
       Os animais da Floresta Secreta agradeceram às crianças, e para comemorar, nada melhor do que beber um copo de suco de mexerica.
      Já estava na hora das crianças voltarem para casa, e seguiram a trilha para a cidade, conversando sobre a aventura no Lago Doce.

FIM
       


Essa é a Bolacha, a menina cientista. Ela não é linda?

Amiguinho, obrigado por acessar o site da Turma do Guaraná, mais uma vez.
Desenho e escrevo o melhor que posso, para que volte sempre.
Espero que tenha lido toda a historinha, e que tenha gostado.

Até a próxima postagem!

Paulo Alves
       

4 comentários:

FabianoCaldeira. disse...

Oi. Adorei a história!

Seu site é visto por editoras, profissionais de diferentes tipos, inclusive professores e educadores. Um sucesso !

Abração. Fabiano Caldeira.

Paulo Alves disse...

Muito legal isso, Fabiano.
É muito bom saber que as pessoas estão gostando do site.

Abraços!

Paulo Alves

Rita Santos disse...

Oi Paulo Alves!!
Adorei a história!
Parabéns pelo blog, e continue desenhando, pois as pessoas gostam D+!!

Rita

Paulo Alves disse...

Oi, Rita!
Obrigado por ter deixado a sua mensagem.
Continuarei desenhando e escrevendo, sempre mostrando para as crianças que é muito gratificante fazer o bem.

Beijo!

Paulo Alves